Waldemar Zonta, 89 anos, proprietário de um dos ícones gastronômicos da cidade de São Paulo, o Bar e Lanches Estadão, na região central, morreu na sexta-feira, 18. A notícia foi confirmada por meio das redes sociais do estabelecimento. A causa da morte não foi divulgada.

“Estamos em luto, pois hoje perdemos uma pessoa muito especial em nossas vidas. Ele nos ensinou muito como um grande líder e continuava nos auxiliando. Nosso querido Sr. Waldemar Zonta, fundador do Bar e Lanches Estadão nos deixou na data de hoje! Sei que todos nós que trabalhamos com ele, sentiremos muita saudade. Ele era muito mais que um patrão, era um pai, amigo e um grande parceiro. Que Deus o receba em sua plenitude e dê forças para toda a família.

 

Hoje o céu ganhou uma pessoa muito especial que nunca será esquecida por aqui. Descanse em paz Sr. Waldemar Zonta”, informou a nota publicada pela casa.

Localizado ao lado da antiga sede do jornal Estadão, o Bar e Lanches Estadão foi inaugurado em 1968 por imigrantes portugueses. A família Zonta assumiria o negócio seis anos depois, em 1974. Além de Waldemar, os irmãos Orlando, Oswaldo e João formavam a sociedade.

O lugar foi pioneiro no funcionamento 24 horas (de domingo a domingo). O grande “hit” da casa (até hoje) é o sanduíche de pernil. Segundo informações do próprio site da casa, são mais de 30 peças de Pernil consumidas por dia, sendo que cada uma delas pesa em média entre 7 kg a 8 kg.

Outro sucesso do estabelecimento é a feijoada. Ela é famosa por ser servida em horários exóticos, como as madrugadas. O Bar e Lanches e Estadão carrega a marca de ser democrática e abrigar clientes de todas as classes sociais, como trabalhadores da região central, taxistas, jornalistas, intelectuais e artistas.

 

Agência Estado