Andor Stern nasceu no Brasil e  se mudou quando era criança com a família para Hungria Foto: Reprodução

Morreu ontem, em São Paulo, o único brasileiro nato sobrevivente do Holocausto na Alemanha. Andor Stern tinha 94 anos e faleceu em casa. Filho de pais imigrantes, Stern nasceu na capital paulista em 1928, e se mudou para a Hungria, terra natal de seu pai, ainda criança.

Na Segunda Guerra Mundial, quando o Brasil se juntou aos países aliados, ele foi preso pelas autoridades húngaras por ser brasileiro.

Com a  ocupação nazista da Hungria, sua família toda, com exceção do pai, que se separara da mãe e fora embora do país em 1938, foi transportada até Auschwitz, rede de campos de concentração no sul da Polônia, em um mesmo trem, em 1944. 

Perseguidos por serem judeus, eles foram separados na chegada ao campo de concentração. Seus avós, seu tio e sua tia, que estava grávida, foram mortos em câmaras de gás.

Andor Stern também passou pelo campo de concentração de Dachau, até que, no final de abril de 1945, o local foi libertado pelo Exército dos Estados Unidos. Ele deixou cinco filhos, além de netos e bisnetos.

O velório e o enterro ocorreram ontem, em São Paulo. Em entrevistas e palestras, Andor Stern se emocionava ao contar sua história nos campos de concentração. Dizia também que sua missão de vida era falar aos jovens toda a verdade sobre os horrores do Holocausto.