Na véspera da estreia do Palmeiras no Mundial de Clubes, a Fifa reacendeu velha polêmica sobre o status do torneio internacional vencido pelo time paulista em 1951, que é considerado um título mundial pelos palmeirenses. Nesta segunda-feira, em uma entrevista com o meia Rony, a entidade classificou o time como “campeão mundial”.

A frase consta no site oficial da Fifa e abre a oitava pergunta da entrevista com Rony, publicada em inglês. “Palmeiras e Corinthians foram campeões mundiais uma vez cada. A oportunidade de superar seu maior rival (em número de títulos) te dá uma motivação extra?”, questiona a entidade, na entrevista.

A pergunta, contudo, se torna muito mais importante que a resposta do palmeirense por praticamente corroborar antiga busca do clube alviverde pelo reconhecimento oficial da Fifa pelo título de 1951. Aquele torneio contava com os melhores clubes do mundo naquele momento, todos campeões nacionais: Juventus (Itália), Sporting (Portugal), Nice (França), Áustria Viena (Áustria), Nacional (Uruguai) e Estrela Vermelha (Sérvia).

Vencedor da competição, chamada Copa Rio, o Palmeiras sempre insistiu que o título tinha status de mundial. Na época, não havia torneios com essa abordagem, caso da Copa Intercontinental ou do Mundial atual, disputado em 2000 e desde 2005 anualmente.

A frase da Fifa na entrevista é mais um capítulo das idas e vindas desta busca do Palmeiras pelo reconhecimento oficial. Em outros momentos, a Fifa flertou com essa oficialização, mas nunca o fez de fato. O título de 1951 não aparece em nenhuma lista oficial da entidade, tanto no site quanto em suas publicações.

Um dos capítulos desta “novela” aconteceu em 2007, quando o Palmeiras fez o pedido oficial, com longo dossiê explicando a importância e o status informal do torneio de 1951, à Fifa. Na ocasião, o então secretário-geral Urs Linsi enviou o famoso fax em que concordava com a demanda e até atendia ao pedido. A oficialização, contudo, não veio.

Anos depois, em 2014, no calor das vésperas da Copa do Mundo do Brasil, o palmeirense Aldo Rebello, então ministro do Esporte, fez o pedido diretamente ao então secretário-geral Jérôme Valcke, que novamente respondia positivamente à demanda do Palmeiras, desta vez por e-mail. Na prática, nada mudou.

A situação piorou em 2017, quando a Fifa andou na contramão de suas declarações feitas em fax e e-mail. A entidade reconheceu publicamente como campeões mundiais os times que venceram a antiga Copa Intercontinental, também chamada de Mundial Interclubes, como campeões mundiais. O torneio foi disputado entre 1960 a 2004 entre o vencedor da Copa Libertadores e o campeão europeu.

Desta forma, quatro clubes brasileiros ganharam o status de campeões mundiais, caso de Santos (1962 e 1963), Flamengo (1981), Grêmio (1983) e São Paulo (1992 e 1993). E o Palmeiras seguiu de fora desta restrita lista.

 

Agência Estado