O Ministério da Agricultura multou a Cervejaria Backer em mais de 5 milhões de reais. A pasta acrescentou que foram determinadas também a inutilização de produtos apreendidos e a interdição parcial da fábrica, em Minas Gerais.

Lembrando que o processo foi aberto após casos de contaminação de bebidas da empresa que resultaram em dez mortes. A contaminação por dietilenoglicol foi descoberta em janeiro de 2020. Após isso, a cervejaria começou a utilizar uma solução hidroalcoólica no processo de refrigeração.

Em abril deste ano, o Ministério havia autorizado a retomada parcial da produção e comercialização da empresa. A liberação foi concedida para duas adegas no parque industrial da empresa e continua em vigor.

Ao todo, 11 pessoas, inclusive os sócios-proprietários da cervejaria Backer, se tornaram réus por crimes cometidos em função da contaminação de cervejas fabricadas e vendidas pela empresa ao consumidor. Um dos consumidores morreu em novembro de 2020.

 

Da Redação