O Instituto Butantan vai enviar à Anvisa nos próximos dias um novo pedido de autorização para vacinar crianças e adolescentes entre 3 e 17 anos com a CoronaVac.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária negou o primeiro pedido, feito em julho, e requisitou mais documentos para comprovar aa eficácia e segurança da vacina, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech, nas crianças e adolescentes.

Desde então, o Butantan compartilhou novos dados de eficácia da vacina com a Anvisa, mas uma nova solicitação formal teria sido requisitada pela Agência.

Desta vez, o Butantan vai incluir novos resultados da vacinação com a CoronaVac em crianças no Chile — que ontem autorizou o uso do imunizante em crianças a partir de 3 anos de idade — e na China.

Uma reunião entre chefes do Butantan e da Anvisa, que chegou a ser cancelada na última semana, deve ser remarcada nos próximos dias.