Dois anos após o início da pandemia, medicamentos com eficácia comprovada contra a Covid-19 não estão incorporados pelo SUS. Em hospitais privados, alguns remédios aprovados pela Anvisa pra tratar a doença já são colocados à disposição dos pacientes.  

Remédios como Sotrovimabe e Evusheld não estão disponíveis para comercialização no país ou não têm cobertura para o uso ambulatorial e domiciliar pela Agência Nacional de Saúde, que regula os planos de saúde.  A agência informou que os medicamentos desse tipo só têm cobertura obrigatória caso sejam prescritos pelo médico para administração durante a internação.

 

(foto: Divulgação)

Posteriormente, pode ser feita a solicitação de reembolso, mas, ainda assim, em alguns casos os pacientes acabam tendo de arcar com os medicamentos. Não há perspectiva de data pra que esses remédios estejam disponíveis no SUS, uma vez que a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias não recomendou a incorporação.

 

 

No caso das pílulas antivirais, como Molnupiravir e Paxlovid, ainda não houve avalainda não houve aval pra uso no Brasil, mas elas já foram aprovadas em outros países. Elas podem fazer diferença quando ingeridas após os primeiros sintomas.

 

Da Redação