Simone Tebet vai percorrer o país com a Caminhada da Esperança Foto Agência Senado

A pré-candidata do MDB à Presidência da República, senadora Simone Tebet, considera pouco provável o apoio do partido à candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva no primeiro turno das eleições. Mesmo considerando natural possíveis dissidências, ela acredita que estar ao lado do PT provocaria um racha no MDB. Ela foi entrevistada no Nova Manhã pelos âncoras Mauro Tagliaferri e Michelle Trombelli.

Simone Tebet acredita no avanço de uma candidatura da terceira via por meio da união de partidos do centro democrático, como as conversas que vem sendo feitas entre o MDB e o PSDB para formação de uma federação partidária.

Atualmente com apenas 1% pesquisas de itenção de voto, a senadora vê espaço para o crescimento de sua candidatura à medida que ser tonar conhecida do público quando começar a percorrer o país para divulgar suas propostas de governo com a Caminhada da Esperança.

Simone Tebet considera importante, no atual momento do país que vive o aumento da desigualdade, a candidatura de uma mulher à Presidência da República. A campanha terá como foco o combate à injustiça social, tendo como prioridade a curto prazo medidas contra a fome e a insegurança alimentar.

Para Simone Tebet, o caminho para o crescimento do país está na elaboração de políticas de desenvovimento regionais voltadas para a educação, ciência, tecnologia e inovação.

A senadora defendeu a reforma tributária e criticou o chamado orçamento secreto, que neste ano vai possibilitar o uso de 16 bilhões de reais de emendas parlamentares sem transparência e nenhuma garantia de que os recursos serão gastos em políticas públicas.