Escândalo do balcão de negócios comandado por pastores derrubou Milton Ribeiro do MEC Foto: Reprodução

O ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, confirmou à Polícia Federal que o presidente Jair Bolsonaro  lhe pediu para receber os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, acusados por prefeitos de cobrarem propina para intermediar a liberação de verbas do MEC.

Ele negou ter favorecido prefeituras indicadas pelos líderes religiosos na distribuição de recursos.

Milton Ribeiro minimizou o interesse de Bolsonaro na reunião e disse que não recebeu qualquer demanda ou questionamento do presidente a respeito do assunto tratado no encontro ou de eventuais pedidos dos pastores.

O ex-ministro ainda negou ter conhecimento de qualquer irregularidade na negociação de verbas da pasta. Milton Ribeiro foi ouvido ontem pela primeira vez no inquérito da PF que apura denúncias de corrupção no Ministério da Educação.

O ex-ministro não compareceu diante da Comissão de Educação do Senado para esclarecer a relação com os pastores suspeitos de corrupção