Parlamentares de partidos que fazem oposição ao governo de Jair Bolsonaro foram às redes sociais para cobrar do Ministério Público Federal que investigue a compra de mais de 35 mil comprimidos de Viagra para as Forças Armadas, principalmente para a Marinha. A autorização da compra ocorreu em 2020. Os dados foram divulgados pelo deputado federal Elias Vaz, do PSD de Goiás, após consulta no Portal da Transparência.

O Viagra é usado, principalmente, para tratar disfunção erétil, mas também pode controlar a pressão arterial pulmonar. Em nota, o Ministério da Defesa informou que o medicamento é recomendado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária para o tratamento de Hipertensão Arterial Pulmonar e que “os processos de compras das Forças Armadas são transparentes e obedecem aos princípios constitucionais”.

Várias compras milionárias para as Forças Armadas já causaram muita polêmica dentro do atual governo, como picanha, salmão, leite condensado, goma de mascar, entre outros produtos.

A pasta também fez a aquisição de MINOXIDIL e FINASTERIDA, usados para combater a calvície masculina. Nessa caso, foi um gasto bem menor, de 2.100 reais, entre 2018, quando Bolsonaro ainda não era presidente, e 2020.

 

Da Redação