O juiz Leonardo Safi de Melo, que já estava afastado da 21ª Vara Federal Cível de SP desde junho de 2020, foi condenado a quase 39 anos de prisão e à perda do cargo no processo que envolve a Operação Westminster. Denunciado pelo Ministério Público, o agora ex-magistrado foi apontado como líder de uma organização que cobrava propinas para expedir sentenças. Ele escolhia processos milionários, usava intermediários para se aproximar de uma das partes da ação e pedia uma ‘comissão’ em troca das decisões.

A defesa de Leonardo diz que vai recorrer da condenação na própria Corte Especial do TRF da Terceira Região, responsável pelo julgamento. A pena é uma das mais severas da história recente do judiciário brasileiro. Lembrando que, em maio de 2006, o ex-juiz Nicolau dos Santos Neto, acusado de desvios milionários nas obras do Fórum Trabalhista de São Paulo, pegou 26 seis anos e meio de cadeia.

 

jornal O Estado de S.Paulo