Deputados aprovaram jogos de azer Foto: Paulo Sérgio/Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados aprovou nesta madrugada o projeto de lei que legaliza cassinos, jogo do bicho e bingos no país. Foram 246 votos favoráveis, 202 contrários e 3 abstenções.

A bancada evangélica, contrária aos jogos de azar, não conseguiu adiar a análise da proposta, que contou com o apoio do presidente da Casa, Arthur Lira.

A votação dos destaques ficou para hoje e, logo depois, o texto seguirá para análise do Senado.

O projeto sofreu resistências, principalmente, de partidos de oposição e de parlamentares da bancada evangélica. O governo liberou sua bancada para votar como desejasse.

O relator do projeto, o deputado Felipe Carreras, do PSB de Pernambuco, citou cálculos que estimam que os jogos ilegais no Brasil movimentam mais de 27 bilhões de reais por ano, superando em quase 60 por cento as loterias oficiais.

Ele afirmou que a legalização dos jogos no Brasil pode arrecadar cerca de 20 bilhões de reais por ano em impostos, gerar mais de 200 mil novos postos de trabalho, além de formalizar 450 mil empregos.

Sobre o fato de o jogo se tornar algo patológico para os apostadores, o vício em jogar, o relator disse que a proibição não inibe a prática.Para o coordenador da Frente Parlamentar Evangélica, deputado Sóstenes Cavalcante, do União Brasil do Rio de Janeiro, os vícios gerados pelos jogos de azar afetam a vida, principalmente, dos “mais pobres, dos aposentados”.