A Câmara aprovou ontem a medida provisória do Auxílio Brasil. O texto torna o programa social que substituiu o Bolsa Família permanente no valor mínimo de 400 reais. O texto agora segue para o Senado.

Originalmente, o benefício duraria somente até dezembro deste ano. No entanto, o governo federal decidiu ceder nesse ponto das negociações para neutralizar uma ofensiva da oposição, que tentava elevar os pagamentos para 600 reais. Um parecer jurídico recebido pelo Palácio do Planalto mudou a estratégia governista.

Sem respaldo para deixar a MP perder a validade, auxiliares do presidente Jair Bolsonaro recuaram e passaram a ver a negociação dentro do Congresso Nacional como o único caminho para impedir a elevação do benefício.

 

jornal O Estado de S.Paulo