Jair Bolsonaro critica acordo do WhatsApp com a Justiça Eleitoral e diz que vai procurar direção do aplicativo Foto: Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse que vai procurar representantes do WhatsApp no Brasil para tratar do acordo firmado entre o aplicativo e o Tribunal Superior Eleitoral, que deixou somente para depois das eleições a incorporação na plataforma de uma função que amplia o alcance de mensagens.

Especialistas relataram à plataforma preocupação acerca da nova funcionalidade, que pode turbinar a disseminação de notícias falsas e ataques virtuais durante o período eleitoral.

Em entrevista à CNN Brasil, Bolsonaro disse que da mesma forma que o WhatsApp fez um acordo com o TSE, pode fazer com ele também.

O aplicativo anunciou na quinta-feira que vai lançar uma nova funcionalidade no Brasil, chamada Comunidades, no próximo ano.

O recurso vai possibilitar que administradores reúnam diferentes grupos sob um só guarda-chuva, ampliando o alcance de mensagens.

O novo recurso, em fase de testes, pode facilitar a circulação de notícias falsas. Atualmente, os grupos de WhatsApp podem ter no máximo 256 integrantes.