Bento Albuquerque (esq) foi exonerado da pasta das Minas e Energia Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Por Paulo Lima

O Diário Oficial da União publicou nesta madrugada a troca de comando no Ministério das Minas e Energia. O Almirante de Esquadra Bento Costa Lima Leite de Albuquerque foi exonerado, a pedido, pelo presidente Jair Bolsonaro nesta quarta-feira (11). Em seu lugar assume o assessor especial do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida.

Bento Albuquerque vinha sendo pressionado desde a última quinta-feira (5), quando o chefe do Executivo reclamou publicamente, aos gritos, em sua tradicional live, da política de preços da Petrobras, que está ligada à pasta.

“Vocês não podem, ministro Bento Albuquerque e senhor José Mauro (presidente), da Petrobras, não podem aumentar o preço do diesel. Não estou apelando, estou fazendo uma constatação levando-se em conta o lucro abusivo que vocês têm. Vocês não podem quebrar o Brasil. É um apelo agora: Petrobras, não quebre o Brasil, não aumente o preço do petróleo. Eu não posso intervir”.

Bolsonaro afirmou que o lucro obtido pela empresa no primeiro trimestre de 2022 foi “um estupro” e “um absurdo”. Entre janeiro e março deste ano, a petroleira apresentou um lucro líquido de R$ 44,5 bilhões, alta de 3.718% em relação ao mesmo intervalo de 2021, quando os ganhos foram de R$ 1,1 bilhão.

Além do Ministério das Minas e Energia, houve mudança no Ministério da Saúde. O secretário executivo Rodrigo Otávio Moreira da Cruz foi exonerado, a pedido. Para seu lugar, o segundo mais importante da pasta, foi nomeado Daniel Meirelles Fernandes Pereira.