O piloto britânico heptacampeão da F1 Lewis Hamilton e a tenista Serena Williams estão envolvidos em uma negociação para investir na compra do Chelsea, conforme informações divulgadas pela emissora britânica “Sky Sports” nesta quinta-feira, 21.

A notícia é que as duas estrelas do esporte estariam dispostas a investir 20 milhões de libras (cerca de R$ 121,1 milhões) no projeto apresentado pelo empresário Martin Broughton para comprar o clube londrino.

Presidente da British Airways e ex-presidente do Liverpool, Broughton é um dos quatro candidatos ao cargo de novo dono do Chelsea, colocado à venda pelo oligarca Roman Abramovich, alvo de sanções do Reino Unido por sua relação com Vladimir Putin em meio a invasão russa à Ucrânia.

 

(foto: Redes Sociais)

 

Segundo a “Sky”, Hamilton e Williams estão conversando há semanas com Broughton sobre a possibilidade de cada um investir 10 milhões de libras no consórcio liderado pelo empresário britânico.

 

O grupo já possui outros investidores fortes, como Sebastian Coe, presidente da Associação Internacional de Federações de Atletismo e campeão olímpico.

 

 

 

Representantes de Hamilton confirmaram à agência de notícias Reuters que o piloto da Mercedes aceitou participar do consórcio, mas que os valores divulgados não são precisos, sem dar maiores detalhes.

 

(foto: Redes Sociais)

 

Serena Williams, por sua vez, não emitiu nenhuma posição oficial sobre o assunto. A tenista, campeã de 23 Grand Slams, já faz parte do mundo dos negócios, pois é investidora do time de futebol feminino Angel City FC.

 

A proposta articulada por Broughton ganha força com a presença de estrelas do esporte, mas a concorrência para adquirir o Chelsea é forte.

 

 

A família Ricketts, dona do Chicago Cubs, uma das principais franquias de beisebol dos EUA, é uma das candidatas. Também estão na briga nomes como Todd Boehly, coproprietário dos Los Angeles Dodgers, e Steve Pagliuca, acionista do Boston Celtics e do Atalanta.

 

jornal O Estado de S.Paulo