A Apple interrompeu todas as vendas de produtos na Rússia em resposta à invasão da Ucrânia.  A empresa traçou diversas ações em resposta à invasão, incluindo a interrupção de todas as exportações em seus canais de vendas no país.

(foto: redes sociais)

Na terça-feira à tarde, usuários na Rússia ainda conseguiam acessar a loja online da Apple, mas tentativas de comprar um iPhone mostraram que eles não estavam disponíveis para entrega.

Em nota, a Apple declara: “Estamos profundamente preocupados com a invasão russa da Ucrânia e estamos com todas as pessoas que estão sofrendo como resultado da violência”.

A Microsoft é outra das gigantes tecnológicas a tomar medidas contra a invasão da Ucrânia.  A companhia americana revela que detectou ataques cibernéticos contra a infraestrutura tecnológica ucranianos horas antes do presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenar a invasão do país.

(foto: redes sociais)

Além de iniciativas para defender a Ucrânia contra ciberataques, a Microsoft diz que está atuando em outras frentes, como combate à campanhas de desinformação patrocinadas pelos russos e suporte humanitário aos ucranianos.

Em decisão parecida com a de outras plataformas sociais, como YouTube e Meta (dona do Facebook), a Microsoft anunciou que seu aplicativo agregador de notícias não vai exibir conteúdo das redes Russia Today e Sputnik — dois veículos financiados pelo governo russo. A decisão também bloqueia essas informações no portal MSN.com, que pertence à marca.

 

Da Redação