(foto: divulgação CBV)

O Minas Tênis Clube rescindiu o contrato do central Maurício Souza, integrante da seleção brasileira masculina de vôlei. A decisão ocorreu menos de 24 horas após o clube anunciar a suspensão do atleta. O desligamento foi causado pela repercussão negativa nas redes sociais de um post de Maurício. Ele criticou o fato de o Superman, nos quadrinhos, ter assumido ser homossexual. A opinião de Maurício foi encarada por muitos, inclusive por torcedores, como homofobia.

O clube chegou a afirmar que não aceita manifestações intolerantes, racistas, preconceituosas e homofóbicas, e que vai intensificar campanhas internas em prol da diversidade, respeito e união, por serem causas importantes e alinhadas com os valores institucionais.

Dois patrocinadores da equipe masculina de vôlei – Fiat e Gerdau – pressionaram o clube a punir o atleta. O jogador, assim que foi suspense e antes de ser demitido, pediu desculpas no Twitter, embora as postagens tenham sido publicadas no Instagram, onde ele tem mais de 400 mil seguidores. No Twitter, o central do Minas é seguido por menos de dois mil internautas.