(foto: Divulgação Twitter F1)

Nem duas punições num mesmo fim de semana foram suficientes para parar Lewis Hamilton no Brasil. O piloto inglês, cada vez mais à vontade no país do seu ídolo, Ayrton Senna, brilhou novamente no Autódromo de Interlagos e venceu o GP de São Paulo neste domingo. De quebra, reduziu a vantagem de Max Verstappen na liderança do campeonato. O holandês chegou em segundo lugar, logo à frente do finlandês Valtteri Bottas.

Foi a 101ª vitória do inglês na F-1, a terceira no Brasil, comemorada com a torcida, que encheu as arquibancadas do circuito paulistano. Após cruzar a linha de chegada, Hamilton ganhou uma bandeira brasileira, com a qual desfilou em seu carro até parar diante do pódio. Ao longo da semana, o inglês declarou diversas vezes que se sentia cada vez mais brasileiro.

Numa das melhores provas da temporada, Hamilton brilhou tanto no sábado quanto no domingo. Antes de chegar em primeiro ao fim das 71 voltas, ele surpreendeu no sprint race ao finalizar as 24 voltas em quinto lugar. Foram 15 ultrapassagens no sábado e mais 10 neste domingo, totalizando 25. E logo num fim de semana em que sofreu duas punições. No sábado, largou em último. Neste domingo, foi apenas o 10º no grid. Mas ele precisou de apenas 19 voltas para pular do 10º para o 2º posto.

No campeonato, a situação ficou mais equilibrada. Verstappen chegou aos 332,5 pontos, contra 318,5 de Hamilton. Faltam ainda três etapas para o fim da temporada.

Após vacilar na largada no México, há uma semana, Bottas voltou a vacilar em Interlagos. O companheiro de Hamilton foi superado por Verstappen no meio do “S do Senna” e por Pérez na reta oposta. No meio do pelotão, o inglês conquistou quatro posições na primeira volta. Na segunda, aparecia em terceiro, atrás apenas dos carros da Red Bull.

A ascensão do heptacampeão ganhou uma ajuda na 7ª volta, quando o safety car entrou na pista porque Yuki Tsunoda perdeu a asa dianteira de sua AlphaTauri no “S do Senna” – o japonês acabou sofrendo punição de 10 segundos. Na relargada, três voltas depois, Verstappen sustentou a liderança, sendo protegido por Pérez, seu companheiro de equipe.

Logo na sequência o safety car virtual foi ativado por causa dos dedritos da asa dianteira de Mick Schumacher, após choque com Kimi Raikkonen. Na retomada das disputas, Hamiltou passou Pérez, que recuperou a posição em seguida, no 18º giro. Na volta seguinte, o inglês não repetiu o erro da primeira tentativa e deixou o mexicano para trás de vez.

Verstappen liderava com quatro segundos de vantagem sobre seu maior rival. Sem conseguir se aproximar do líder do campeonato, o inglês e a Mercedes apostaram na estratégia. Na 27ª volta, ele trocou os pneus médios pelos duros. Retornou em 6º para a pista.

Uma volta depois, Verstappen fez o mesmo e voltou para a pista em 3º, à frente de Hamilton. Na prática, a estratégia da Mercedes deu resultado. A diferença para o primeiro colocado caiu para 1s5 segundo. Nem mesmo uma nova ativação do safety car virtual, na 30ª volta, mudou o cenário da briga pela vitória.

A situação mudou no 41º giro, quando Verstappen surpreendeu ao ir aos boxes para colocar novos pneus duros. Voltou em quarto, enquanto Hamiltou herdou a liderança. Duas voltas depois, o inglês repetiu a estratégia do rival holandês, agora novamente em primeiro lugar na prova.

Mas a diferença entre os dois caía a cada volta. De 1s2, chegou a ser derrubada para 0s2 na 48ª, quando Hamilton foi para o bote. Ele tentou por fora no fim da reta oposta. Verstappen fechou a porta e ambos acabaram saindo da pista. A Mercedes reclamou, porém os comissários decidiram não investigar o caso.

Nova investida só veio dez voltas depois, sem sucesso. No giro seguinte, o heptacampeão não perdoou. Superou Verstappen, assumiu a ponta e não deu mais chance para o rival. Sem sustos, ele cruzou a linha de chegada na frente, recebendo a bandeirada da ginasta e campeã olímpica Rebeca Andrade, convidada da organização.

Pilotos e equipes agora rumam para o Catar. A corrida de estreia no país será já no próximo domingo, no Circuito de Losail. Será o terceiro final de semana consecutivo de corrida na F-1, incluindo ainda o GP do México, disputado no domingo passado.

Confira a classificação do GP de São Paulo de Fórmula 1:

1º – Lewis Hamilton (ING/Mercedes), em 1h13min860

2º – Max Verstappen (HOL/Red Bull), a 10s496

3º – Valtteri Bottas (FIN/Mercedes), a 13s576

4º – Sergio Perez (MEX/Red Bull), a 39s940

5º – Charles Leclerc (MON/Ferrari), a 49s517

6º – Carlos Sainz Jr. (ESP/Ferrari), a 51s820

7º – Pierre Gasly (FRA/AlphaTauri), a uma volta

8º – Esteban Ocon (FRA/Alpine), a uma volta

9º – Fernando Alonso (ESP/Alpine), a uma volta

10º – Lando Norris (ING/McLaren), a uma volta

11º – Sebastian Vettel (ALE/Aston Martin), a uma volta

12º – Kimi Räikkönen (FIN/Alfa Romeo), a uma volta

13º – George Russell (ING/Williams), a uma volta

14º – Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo), a uma volta

15º – Yuki Tsunoda (JAP/AlphaTauri), a uma volta

16º – Nicholas Latifi (CAN/Williams), a uma volta

17º – Nikita Mazepin (RUS/Haas), a duas voltas

18º – Mick Schumacher (ALE/Haas), a duas voltas

Não completaram a corrida:

Daniel Ricciardo (AUS/McLaren)

Lance Stroll (CAN/Aston Martin)

 

Vitória – Se Lewis Hamilton teve um começo de fim de semana para esquecer, com duas punições seguidas, o restante do GP de São Paulo ficará na memória do inglês por muito tempo. Após brilhar no sprint race, no sábado, ele venceu a corrida, neste domingo, com uma das melhores performances da temporada 2021 da Fórmula 1.

No total, o piloto da Mercedes acumulou 25 ultrapassagens: 15 no sábado e mais 10 neste domingo. “Nunca tinha feito isso antes. Acho que nunca tive um fim de semana como esse”, disse o vencedor da prova no Autódromo de Interlagos. O triunfo foi especial porque o inglês não vencia há três corridas. “Parecia a primeira da minha carreira porque eu sentia que não vencia há muito tempo.”

Para coroar o triunfo, o heptacampeão mundial precisou superar duas punições seguidas neste fim de semana. No sábado, acabou saindo em último no sprint race. Neste domingo, foi apenas o 10º na largada. No total, ele perdeu 25 posições com as sanções. “Com as punições, foi o fim de semana mais difícil que já tive”, admitiu.

“Que corrida! A equipe fez um trabalho incrível, Valtteri (Bottas) fez um ótimo trabalho ao conseguir o máximo de pontos que conseguiu”, comentou, ao citar o companheiro de equipe. O finlandês terminou em terceiro lugar, atrás do holandês Max Verstappen.

Hamilton confessou que não esperava um resultado tão bom neste fim de semana. Com a vitória, reduziu de 21 para 14 pontos a vantagem de Verstappen na liderança do campeonato. “Vindo para esta etapa, eu nunca pensei que seria capaz de diminuir a diferença como fizemos hoje. E ainda teve essas coisas (punições) vindo contra nós. Acho que isso mostra para todos que nunca podemos desistir, independente do que estivermos enfrentando.”

 

O inglês ainda agradeceu à torcida brasileira, que vibrava a cada ultrapassagem em Interlagos. Ele comemorou no melhor estilo Ayrton Senna, seu maior ídolo. Pegou uma bandeira brasileira e desfilou com ela pelo traçado até o pódio. Lá se enrolou na mesma bandeira enquanto ouvia o hino do seu país, emocionado.

 

 

“Sou muito grato a todo este incrível apoio que estou recebendo durante todo o fim de semana. Obrigado, Brasil!”, afirmou, agradecendo em português. “Não tenho tanta torcida comigo desde Silverstone”, disse o britânico, referindo-se ao GP da Inglaterra, onde corre literalmente em casa.

Verstappen – Max Verstappen deixou o Autódromo de Interlagos satisfeito com o seu desempenho no GP de São Paulo de Fórmula 1. Embora tenha sido ultrapassado por Lewis Hamilton na 59ª volta e admitido que o rival da Mercedes, vencedor da prova, foi superior a ele, o holandês da Red Bull disse que se divertiu na pista e fez o que estava a seu alcance.

O líder do Mundial de Pilotos reconheceu que esteve abaixo do ritmo de Hamilton e citou que passou a correr para reduzir as perdas nas voltas finais. “Sabia que seria difícil. Fiz o melhor que pude. Perdemos um pouco de ritmo no final, mas em geral acho que tomamos as decisões certas e me diverti na pista”, avaliou o holandês após a corrida.

 

Ele conseguiu se manter à frente do concorrente da Mercedes em boa parte das 71 voltas da corrida, mas foi superado pelo britânico heptacampeão mundial no fim da prova e não conseguiu mais reaver a dianteira em Interlagos.

 

Verstappen chegou aos 332,5 pontos, contra 318,5 de Hamilton na classificação do Mundial de Pilotos. Portanto, viu sua vantagem na ponta ser reduzida de 21 para 14 pontos. Ele corre para conquistar seu primeiro título na Fórmula 1, enquanto Hamilton ostenta sete troféus.

 

“Ainda temos uma boa vantagem de pontos, hoje foi um pouco de controle de danos”, afirmou o holandês, que obteve dois pontos no sprint race de sábado e outros 18 com a segunda posição na prova deste domingo. “Nas próximas corridas estou confiante de que vamos nos recuperar”.

 

Questionado sobre a disputa intensa com Hamilton pelo título da temporada, Verstappen crê que ainda há muito por vir. “Tem sido assim o ano inteiro. Muitas coisas ainda podem acontecer no fim desta temporada”.

(foto: Divulgação Twitter F1)

Verstappen deixará o Brasil mais pobre. Ele foi multado em 50 mil euros (cerca de R$ 310 mil) por ter tocado no carro de Lewis Hamilton ao fim do treino classificatório, na sexta-feira. Na ocasião, foi conferir a distância das aletas do carro rival. As regras da F-1 impedem qualquer toque ou mudança nos carros ao fim das sessões na pista.

 

No sábado, o piloto holandês aconselhou os comissários da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) a usarem o dinheiro num “bom jantar, com vinho muito caro”.

 

Os pilotos voltam a acelerar no Catar. A corrida de estreia no país será já no próximo domingo, no Circuito de Losail. Será o terceiro final de semana consecutivo de disputas na F-1, incluindo ainda o GP do México, disputado no domingo passado. Há ainda mais duas provas, na Arábia Saudita e Catar, antes do encerramento da temporada.

 

jornal O Estado de S.Paulo