O governo federal anunciou nesta quinta-feira, 10, que os estudantes que têm contrato com o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior, o Fies, poderão renegociar suas dívidas a partir de março.

A renegociação saiu em forma de medida provisória, cuja regulamentação foi apresentada ontem. Segundo o Ministério da Educação, a renegociação deve começar em 7 de março e ir até o dia 31 de agosto de 2022.

Ontem, durante o anúncio no Palácio do Planalto, o presidente citou alguns números e aproveitou para alfinetar os governadores que, segundo ele, optaram pelo lockdown afirmando que (abre aspas): “A economia a gente vê depois”.

 

(foto: Agência Brasil)

Também no evento, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que endividamento dos jovens foi no governo anterior e que o custo fiscal para o governo ao renegociar as dívidas é irrisório.

Ainda, de acordo com o governo, para ter o nome retirado dos cadastros restritivos de crédito, os estudantes deverão pagar o valor da entrada no ato da renegociação, correspondente à primeira parcela. O montante mínimo da prestação será de 200 reais.

O Fies é um programa pelo qual o governo federal paga as mensalidades de estudantes de graduação em instituições privadas de ensino superior enquanto eles cursam a faculdade. Por se tratar de um financiamento, o estudante precisa quitar a dívida posteriormente.

 

Da Redação