Os planos de saúde individuais devem ficar mais caros em 2022.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar ainda está calculando o percentual máximo que será autorizado às operadoras, mas entidades do setor estimam um aumento recorde de quase 16%.

 

(foto: Agência Brasil)

O maior reajuste anual até hoje foi de 13,57%, em 2016. Em 2021, foi determinado um reajuste negativo de -8,19% nos planos de saúde individuais.

Isso ocorreu porque houve uma queda provocada pela pandemia no uso de serviços médicos, com adiamento de procedimentos como cirurgias e exames.

 

 

Ainda não há uma data definida para divulgação do novo índice, mas a expectativa é de que ocorra em maio.

 

Da Redação