O Airbnb trouxe para o Brasil, Nova Zelândia e Porto Rico a proibição de reservas de acomodações na véspera do Ano Novo para hóspedes sem histórico positivo de avaliações, anunciou nesta terça-feira, 9, a plataforma de hospedagens em evento virtual. Segundo a empresa, o objetivo é reduzir aglomerações ao prevenir possíveis festas e eventos que possam aumentar a transmissão do novo coronavírus.

Essa medida já havia sido imposta pela primeira vez em 2020 a mercados-chave da empresa, como Estados Unidos, Canadá, Austrália, França, Espanha e Reino Unido.

No mesmo evento, o Airbnb anunciou novos recursos com foco na retomada pós-pandemia em todo o mundo. Segundo a empresa, o “novo normal” será mais flexível, com estadias dedicadas a viagens pessoais e também a trabalho.

Com a flexibilidade em mente, visando a atender um público que deseja planejar estadias com mais tempo, a plataforma ampliou as buscas para até um ano de antecedência, saindo dos 6 meses atuais. Para aqueles que estão em home office, será possível testar a conexão de internet via Wi-Fi de um espaço diretamente pelo aplicativo do Airbnb.
Além disso, ao buscar casas e apartamentos na plataforma, os hóspedes poderão pesquisar por quatro novos tipos de locais para viajar: casas em regiões próprias para esquiar, locais para desconectar (sem internet e com intenção de relaxar) e acomodações de luxo ou excêntricas, como com desenhos arquitetônicos não convencionais.

Ainda, será possível entrar em contato com superanfitriões (os superhosts) do Airbnb para tirar dúvidas sobre a região em que você está hospedado ou em que está o seu imóvel. Esses superanfitriões, diz o Airbnb, são aqueles que estão na plataforma há mais tempo e têm melhor avaliação.Uma ferramenta de tradução também foi revelada, possibilitando que anúncios e análises de hóspedes possam ser lidas em 60 idiomas.

O Airbnb quer ampliar as ferramentas de acessibilidade na plataforma, sinalizando quais espaços são próprios para pessoas com deficiência (PCD). Hóspedes poderão buscar por casas com rampas para cadeirantes, por exemplo – no total, são 32 filtros específicos para PCDs. Além disso, será feito um processo de análise de acessibilidade, em que, após feedback negativo dos hóspedes, a equipe da empresa irá revisar se o espaço é de fato acessível.

Outra novidade é a ampliação da proteção gratuita a proprietários que tiverem o imóvel danificado por animais de estimação de hóspedes, com a plataforma podendo arcar com até US$ 1 milhão.

“Para o Airbnb, 2021 tem sido um ano de grandes inovações para aprimorar nosso serviço”, diz Brian Chesky, presidente executivo e cofundador da empresa, citando que a plataforma recebeu cerca de 150 incrementações neste ano.

As novidades entraram em vigor a partir da terça, 9, com exceção das traduções, que chegam à plataforma até o fim deste ano.

 

Agência Estado