Os roubos cresceram mais nas áreas centrais e bairros nobres da cidade de São Paulo no 1.º trimestre, quando se consolidou o retorno em massa das atividades presenciais. Isso é o que mostra levantamento feito pelo Estadão com base em dados da Secretaria de Segurança Pública. Os índices de roubo estão afetando principalmente Campos Elísios, Consolação, Itaim Bibi e Pinheiros. O registro do crime nesses locais mais do que dobrou na comparação com o mesmo período de 2021.

Para especialistas e delegados ouvidos pelo Estadão, a subida em bairros de classe média e média alta se deve à oportunidade: mais gente nas ruas. São áreas onde a saída em larga escala do isolamento social foi mais recente e as possíveis vítimas têm maior poder aquisitivo. Os ladrões agem de formas cada vez mais variadas, como gangues de bicicleta ou falsos entregadores. A polícia investiga ainda a participação do crime organizado em roubos de celulares, que ficaram mais lucrativos com a chance de obter dinheiro rápido via Pix.

Blitz da Operação Sufoco, contra roubos em São PauloBlitz da Operação Sufoco, contra roubos em São Paulo Foto: Marcelo Chello/Estadão

Veja dicas de cuidados com o celular:

Anotar o número IMEI do celular, sigla utilizada para International Mobile Equipment Identity, o que permite que o bloqueio seja feito de forma mais ágil;
Diminuir os limites para transferência via Pix, uma vez que a ferramenta de pagamento instantâneo pode ser usada para transações criminosas após o roubo;
Não usar senha do banco no celular em outros apps;
Não atender celular na rua;
Manter um aparelho reserva para acessar apps de bancos.