Um relatório do Banco Mundial afirma que a pandemia atrasou em uma década o desenvolvimento das crianças brasileiras. Outro dado é que um brasileiro nascido em 2019 terá, em média, 60% de seu potencial ao chegar aos 18 anos. Tudo isso motivado também pelo alto risco de má nutrição ou morte prematura, acesso à educação limitado e baixa qualidade de aprendizagem.

Os retrocessos comprometeram o talento de pelo menos 40% das crianças brasileiras. O estudo, que faz parte do Human Capital Project, concluiu que as atuais condições de educação e saúde no Brasil só vão permitir o desenvolvimento de 50% do potencial de quem nasceu no ano passado. Conforme o relatório, a produtividade esperada de uma criança branca em 2019 era de 63% do seu potencial, comparado a 56% para uma criança negra e 52% para uma indígena.

Segundo o Banco Mundial, o Brasil precisa de 60 anos para alcançar o nível dos países desenvolvidos. Para acelerar essa recuperação, recomenda o fortalecimento da Educação, do Sistema Único de Saúde e de programas de transferência de renda.

 

Da Redação