A União Brasileira de Compositores divulgou o resultado da edição anual do estudo intitulado “Por Elas Que Fazem a Música”. O relatório traça um mapeamento do papel e da representatividade feminina na música brasileira.

Os dados mostram que as mulheres receberam somente 9% do total distribuído em direitos autorais em 2021. Considerando os rendimentos vindos do exterior, entre os 100 maiores arrecadadores brasileiros de direitos autorais na área musical, somente 13 são mulheres.

(foto: UBC)

Mas a pesquisa também traz números positivos, como, por exemplo, o aumento do número de obras registradas com participação de mulheres. Em relação a 2020, a participação feminina na quantidade de obras e fonogramas cadastrados cresceu em 4 categorias: autoras e versionistas; intérpretes; músicos executantes; e produtoras fonográficas.

O levantamento revela que, entre artistas mulheres, a maior concentração está na Região Sudeste, com 63%, enquanto a Região Norte reúne apenas 2%. As maiores fontes de distribuição de direitos autorais para as mulheres são o Rádio, representando 25%; e a TV aberta, com 20%.

 

Da Redação