A cantora Daniela Mercury decidiu abrir mão do cachê que iria receber pelo show do 1º de Maio das centrais sindicais realizado na Praça Charles Miller, no bairro do Pacaembu, na zona oeste de São Paulo.

A apresentação virou alvo de uma investigação depois que Daniela declarou apoio ao ex-presidente Lula, que havia discursado minutos antes.

Como o evento foi em parte custeado com emendas parlamentares, a Prefeitura abriu processo para apurar desvio de finalidade e suspendeu o pagamento de 100 mil reais que faria à produtora responsável pela contratação da artista.

Ao todo, três vereadores encaminharam verba, via emenda parlamentar, para custear o evento: Alfredinho e Eduardo Suplicy, ambos do PT, destinaram juntos R$ 525 mil para pagar a produção e organização do evento e Sidney Cruz (Solidariedade) liberou R$ 187 mil para pagar o cachê dos artistas que se apresentariam na festa – foram cinco no total, contando Daniela Mercury.

 

jornal O Estado de S.Paulo