Apesar de a Agência Nacional de Saúde ter fixado em 15,5% o aumento das mensalidades dos planos, cerca de 6 milhões de clientes no Brasil podem ter reajuste acima disso. São pessoas que estão em mudança de faixa etária. Neste caso, o aumento extra é permitido pela lei e estabelecido em contrato. Os dados são de pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Esse aumento por idade pode ser feito até na transição para os 59 anos, depois disso, só é permitido o reajuste anual.

Ao todo, há mais de 49 milhões de beneficiários com planos de assistência médica no país, de acordo com dados divulgados pela ANS, referentes a março de 2022. O diretor-presidente da agência, Paulo Rebello, foi convocado pelo Senado Federal para explicar o reajuste. Por se tratar de convocação, Rebello está obrigado a comparecer à Comissão de Assuntos Sociais (CAS).

 

Da Redação, com informações do jornal O Estado de S.Paulo