A Câmara dos Deputados aprovou, ontem, por 264 votos a favor e 144 contra, o texto-base do projeto de lei que regulamenta o homeschooling, que é o ensino domiciliar. Foi uma vítória do presidente Jair Bolsonaro, que levantou essa bandeira como promessa de governo. O argumento é o combate à chamada ideologia de gênero nas escolas.

Antes de enviar o texto para o Senado, os deputados vão analisar os destaques – sugestões de mudança – nesta quinta-feira, 19. A proposta determina que as atividades pedagógicas sejam periodicamente registradas pelos pais e responsáveis. Os estudantes, pelo texto da proposta, devem estar matriculados em instituição de ensino credenciadas, que devem acompanhar a frequência nas atividades.

Além disso, os alunos seriam avaliados anualmente pelo Ministério da Educação sobre conteúdos da Base Nacional Comum Curricular.

 

jornal O Estado de S.Paulo