“No Ritmo do Coração” conta a história de uma adolescente que é a única a ouvir em uma família de surdos  Foto: Divulgação

O longa “No ritmo do coração”, de Siân Heder, foi o grande vencedor da noite do Oscar com os prêmios de melhor filme, roteiro adaptado e ator coadjuvante.  A conquista foi a primeira de uma plataforma de streaming, a Apple TV Plus, na categoria principal do Oscar.

“No ritmo do coração” conta a história de Ruby,  uma adolescente de 17 anos que é a única que ouve em uma família de surdos. Quando os negócios da família ficam ameaçados, ela passa a dividir seu tempo entre as obrigações do dia a dia e a paixão pela música.

Mas a noite foi marcada por um tapa dado pelo ator Will Smith no comediante Chris Rock. Durante a cerimônia, Chris Rock subiu ao palco para apresentar o vencedor da categoria de melhor documentário.

Em seu discurso, ele fez piadas com a cabeça raspada de Jada Smith, mulher de Will, que sofre de um problema que provoca a queda dos cabelos.O ator foi até o palco e deu um tapa na cara do comediante, que ficou sem graça.

Minutos depois, Will Smith foi anunciado como vencedor do Oscar de melhor ator por “King Richard: Criando campeãs”. Em seu discurso de agradecimento, o ator pediu desculpas à Academia e aos convidados, mas também disse que assim como a personagem que interpretou em” Criando campeãs”, é um defensor da família. Em nota, Chris Rock disse que não prestará queixa contra Will Smith. 

Voltando para o Oscar, o prêmio de melhor atriz foi para Jessica Chastain, pela atuação no filme “Os olhos de Tammy Faye”. A estatueta de melhor atriz coadjuvante ficou com  Ariana DeBose, por “Amor, sublime amor”.

O filme Ataque dos Cães, um dos favoritos da noite e indicado a 12 categorias, ficou apenas com o Oscar de melhor direção, com Jane Campion. Esta é a primeira vez na história que a categoria vai para uma mulher dois anos seguidos. Em 2021, Chloé Zhao, diretora de “Nomadland”, foi a vencedora.

O Oscar de melhor filme internacional foi para a produção japonesa “Drive my car”.