Aos 79 anos, o cantor, compositor e ex-ministro da Cultura Gilberto Gil foi escolhido nesta quinta-feira, 11, para a cadeira número 20 da Academia Brasileira de Letras (ABL). A cadeira tem como patrono o médico e jornalista Joaquim Manuel de Macedo e foi do jornalista Murilo Melo Filho, que morreu em maio de 2020.

Gilberto Gil disputava a cadeira com o poeta e compositor Salgado Maranhão, além do escritor Ricardo Daunt. Eleito, o músico passa agora a ser o segundo negro no quadro da academia, que conta somente com o imortal Domício Proença Filho entre suas 40 cadeiras.

Esta é a segunda eleição após a retomada das atividades presenciais da ABL, que ficou parcialmente fechada entre março de 2020 e outubro de 2021.

Na semana passada, a atriz Fernanda Montenegro foi eleita para a cadeira 17. Gilberto Gil lançou em 1996 o livro “Todas as Letras”, que reúne as principais composições dele. Salgado Maranhão também é compositor e suas canções já foram gravadas por Ney Matogrosso, Ivan Lins e Paulinho da Viola, Assim como Gil, tem projeção internacional com livros traduzidos para o inglês, alemão, japonês e sueco.

Da Redação