Os Emirados Árabes Unidos anunciaram neste domingo, 19, que não haverá mais censura de filmes lançados nos cinemas, o mais recente esforço do país para impulsionar sua marca como centro liberal atraente para estrangeiros. Em vez de cortar cenas sensíveis que poderiam ofender as sensibilidades islâmicas tradicionais, a Autoridade Regulatória de Mídia Emiradense vai introduzir uma nova categoria de idade para espectadores com mais de 21 anos.

“Os filmes serão exibidos nos cinemas de acordo com sua versão internacional original”, informou a instituição em uma postagem no Twitter.

(foto: Agência Brasil)

Censores nos Emirados Árabes Unidos, assim como em outros locais do Oriente Médio, há bastante tempo têm removido cenas de produções cinematográficas que mostrem nudez, homossexualidade, sexo e outros conteúdos considerados inapropriados – às vezes levando a falhas no enredo.

Os estrangeiros superam a quantidade de nativos em proporção de nove para um na federação de sete emirados. A diversidade de cultura e religião no país dependente do turismo por vezes tem estado em desacordo com as leis e tradições islâmicas.

Mas isso está mudando ao passo que a nação promove um ambiente socialmente liberal para atrair trabalhadores internacionais. O governo reformou seu código islâmico legal e no próximo ano vai mudar seu fim de semana para os sábados e domingos para se alinhar aos negócios e mercados ocidentais.

 

jornal O Estado de S.Paulo, com informações da Associated Press